28 de janeiro de 2014

Capitulo 68 da #IB & #IBH *-*

II 30 comentários:
Você: ACORDEM SEUS FILHOS DA PUTAAA! –mesmo sem saber de onde vinha, você gritou isso com todas as suas forças e pegou o Hugo de surpresa-
Hugo: você é maluca! –ele ri junto co você-
Você: FODA-SE! –você grita novamente e o Hugo dá partida para um rumo que você não conhecia-
Hugo: você ainda não me provou que é a mesma, isso só foi porque eu te desafiei.
Você: ah, não vale. –você ainda estava com o coração acelerado mas se sentia ótima-
Hugo: quero outra prova. –e o sorriso maligno volta a parecer-
Você: você é um idiota sabia?
Hugo: e você é uma retardada, não acha que a gente se merece?
Você: talvez. –você ri aliviada por estar saindo daquela rua e temendo a volta até lá-


Gritando nas ruas e rindo de absolutamente tudo, você dois foram seguindo a caminho de um lugar que talvez, poderia mudar tudo.


Você: então, onde nós vamos afinal?
Hugo: o meu plano era pegar a bicicleta o resto... bem, o resto eu não sei.
Você: que? Você não sabe?
Hugo: estamos na madrugada de New York (sn), podemos arranjar coisas pra fazer em qualquer lugar. É só eu escolher.
Você: olha lá hein Hugo, não vai me fazer entrar num motel contigo.
Hugo: você prometeu e promessa é divida.
Você: como é? –você dá um tapinha nele-
Hugo: confesso que essa não foi uma das minhas primeiras ideias mas também não foi uma das ultimas.
Você: besta.
Hugo: Vamos apenas deixar a noite nos levar, está bem?
Você: e com ´´noite´´ você quer dizer os seus pés não é?
Hugo: não, eu digo a noite por ela própria. Eu não ando muito por aqui, só quando eu estou com a bike, mas eu só tento achar o caminho de volta, a ida é uma surpresa não só pra você mas pra mim também.
Você: eu acho que você deve estar pirando, quando foi que você ficou assim? Tipo, tão espontâneo a tudo?
Hugo: eu acho que quando você acaba com uma amizade de muitos anos num pais que não é o seu de origem, não possui amigos ou parentes próximos, e não tem grana os seus conceitos mudam bastante. Eu não preciso ir num clube super badalado aqui de NY para me divertir, até hoje eu não fui em nenhum e mesmo assim eu me divirto quando eu chego no destino que a noite me reserva.
Você: então não é a primeira vez que você faz isso?
Hugo: claro que não! Sabe quem ficou surpresa com isso também?
Você: quem?
Hugo: a Megan, ela não acreditou em mim quando eu disse que a noite e o luar eram os meus guias. Ela até quis vir junto mas eu não a trouxe, acho isso tudo aqui muito pessoal pra mostrar isso pra qualquer pessoa.


De repente você sente uma pontada no estomago ao se lembrar da Megan e do resto da escola. Isso tinha sumido completamente da sua cabeça, a escola era uma das ultimas coisas que você iria pensar.


Você: você ainda vai lá?
Hugo: claro, você acha que eu virei um vagabundo?
Você: isso é uma indireta pra mim?
Hugo: mais ou menos. –ele ri-
Você: você acha que eu tenho que voltar pra lá?
Hugo: é claro, você tem que terminar o ultimo ano, não é? –ele vira uma esquina qualquer e olha pra você esperando a sua resposta-
Você: não sei. –você desvia o olhar-


Já do começo da esquina você escuta o barulho de som alto e algumas pessoas gritando. O Hugo acelera as pedaladas curioso para ver o que estava acontecendo ali. A festa estava ao som de I Need You Love- Calvin Harris e chamou a atenção do Hugo tanto que ele parou pra dar uma olhadinha.


Hugo: olha que interessante... –ele já ia descendo de bike quando você chamou a atenção dele-
Você: o que você está fazendo?
Hugo: descendo da bike ué.
Você: pra que?
Hugo: você é cega? Tem uma festa bem na sua frente e você quer que eu fique aqui?
Você: mas você não disse que ia onde a noite te levasse?
Hugo: e você não disse que iria onde eu quisesse? Enquanto a noite, ela já nos trouxe até aqui.
Você: mas você nem conhece o dono da festa e já vai se enturmando desse jeito?
Hugo: já vai começar de novo com suas frescuras? A antiga (sn) já sumiu de novo?
Você: não, eu ainda estou aqui. Quer dizer, eu nunca fui embora.
Hugo: então vamos nessa! –ele sorri e desce da bicicleta, você o acompanha-


Não era uma festa, aquilo estava mais pra adolescentes revoltados com a vida todos juntos no mesmo lugar, ouvindo musica alta no carro e bebendo na frente de um mercado fechado. Eles estavam quase bêbados, você duvidava muito que algum deles estivesse sóbrio. Eram mais ou menos umas vinte ou trinta pessoas dançando, rindo descontroladamente e pegando mais um copo de vodka.


Você: Hugo, você tem certeza que eles vão nos deixar entrar na festinha deles? –você puxa o braço do Hugo antes que vocês dois chegassem lá e levassem um chute no traseiro-
Hugo: qual é (sn) olha estado deles, talvez eles nem percebam que nós somos penetras. E o melhor que é ao ar livre, não é como se estivéssemos entrando numa festa na casa de alguém que não conhecemos. E se fosse isso, qual seria o problema? Todos iriam estar bêbados do mesmo jeito. –ele ri- Ta com medinho?
Você: não, eu só acho que eles não vão deixar nós nos...
Hugo: ah cala boca, o máximo que nós podemos levar é um ´´não´´ e só. Para de nóia vai? –ele pega na sua mão e te guia até lá-


Aquilo era tão desconfortável que quando você se deu conta não tinha como voltar atrás, todos já tinham visto vocês e até sorriram. Não porque eles conheciam você ou o Hugo, era o efeito do álcool entrando em ação. Seu coração acelerou quando o Hugo abraçou um menino e disse ´´ nossa, quanto tempo!...´´ o tal garoto ofereceu um copo de bebida pra ele.

Enquanto com você as meninas perguntavam a quanto tempo você e o Hugo estavam juntos, nenhuma delas disseram o nome dele, mas deu pra entender que era dele que estavam falando. Nenhuma delas acreditou que vocês dois não estavam namorando e começaram a falar que amigas de verdade não deveriam esconder segredos.

Amigas de verdade?

Vocês nem ao menos se conheciam há alguns segundos atrás, você só não riu da situação porque o Hugo continuava falando com o tal cara que ele parecia conhecer. Ele percebeu sua irritação e veio em sua direção te entregando um copo cheio de bebida.


Você: você conhece aquele cara? –você cochicha no ouvido dele- o que houve com  a história da noite nós levar há um lugar surpresa?
Hugo: quem disse que eu o conhecia? Eu só queria um pouco disto aqui. –ele balança o copo de bebida dá um longe gole-


Você fica meio desconfiada mas a cada copo essa desconfiança parecia estar indo embora junto com a tristeza que você estava sentindo em relação ao Justin. No lugar das duas coisas vieram a alegria e ataques de risos a cada minuto.


A noite estava linda e parecia que nunca iria acabar, você estava se sentindo tão bem ao lado do Hugo e daqueles estranhos que se viu conversando sobre a sua temporada na boate de stripper com uma desconhecida denominada aquela noite por vomito sônico. O motivo do apelido era porque mesmo ela vomitando toda a bebida e dizendo que não iria beber nunca mais na vida, instantes depois lá estava ela com um copo na mão. Ela parecia te entender muito bem e vocês ficaram conversando e bebendo juntas por um tempão até o Hugo te chamar.


Você mal sabia onde pisava e ao esbarrar no Hugo e segurar nele, vocês dois caem no chão dando motivo para toda a plateia ao redor de vocês soltarem boas gargalhadas, junto com vocês dois é claro. Por um instante tudo ficou preto e quando a pouca claridade voltou aos seus olhos o Hugo estava tão próximo ao seu rosto que você podia sentir a respiração quentinha, e com um forte cheiro de álcool dele.


Hugo: caramba! –ele solta uma gargalhada que também faz você rir, apesar do forte desejo que você sentia de abraça-lo ali mesmo com vocês dois caídos no chão- você está bem?
Você: ah... eu acho sim que. Quer dizer... eu acho que sim.
Hugo: o que você e a vomito sônico conversam tanto? Estou até sentindo um pontinha de ciúmes, sabia? –ele te ajuda a levantar com dificuldade, afinal você dois estavam chapados-
Você: ela é gente boa, todo mundo aqui é gente boa. Eu amo eles. –você e ele riem-
Hugo: falou a garota que nem queria vir pra cá.
Você: SHIIU! –você põem o seu dedo indicador na boca do Hugo- eles não podem escutar isso, somos grandes amigos agora. –você sussurra-
Hugo: tá, mas eu não gosto de você assim tão perto de mim. –ele sussurra de volta e te afasta-
Você: por que? –você faz cara de quem se ofendeu- eu estou fedendo? –vocês dois caem na risada junto com algumas pessoas que estavam perto de vocês-
Hugo: não é isso é que você é você, e eu não estou em condições de me controlar entende?
Você: não, explica melhor. –você senta na calçada e chama o Hugo pra se sentar ao seu lado-
Hugo: não leve com consideração o que eu te falar aqui hoje, eu estou completamente chapado, ok?
Você: ok.
Hugo: eu gosto de você. –você fica em silencio sentindo novamente uma forte vontade de abraçar o Hugo- Mas tipo, eu gosto muito mesmo de você e não é de hoje, você sabe. Acho que eu não preciso explicar isso, eu acho... É que eu não sei como explicar sabe? É difícil pra mim e provavelmente se eu estivesse sóbrio eu não diria isso nem em um milhão de anos.
Você: então diz logo trouxa. –você deixa escapar uma brincadeira para tentar não deixar o clima tão tenso, mas não funcionou muito bem-
Hugo: eu nunca encontrei uma garota como você e eu acho que nunca vou encontrar, eu não sei se é pelo fato de você ser assim idiota, ou por ser tão teimosa, ou por ... Ah, eu te amo.


Suas mãos começam a suar seu pulmão parecia que iria perder todo o ar e você iria cair dura no chão e morrer. Você não sabia se a bebida podia aumentar os sentimentos mas aquilo estava doendo tão profundamente dentro de você que se você pudesse iria sair dali correndo, não importava o caminho contanto que estivesse bem longe dessa dor. Você prende a respiração quando sente as mãos do Hugo nas suas acariciando elas como se estivessem machucadas. O seu primeiro instinto foi tirar a sua mão dali, mas por mais estranho que parecesse você não conseguiu move-las um centímetro se quer.


Hugo: me desculpa por isso tá? Você mexe tanto comigo que as vezes eu perco a razão, você é tão... tão... maravilhosa.


Você não consegue olhar para o rosto do Hugo e se vira para o outro lado, evitando encara-lo. A dor estava corroendo você por dentro e quanto mais ele acariciava a sua mão ela ia passando mas dava lugar a outra dor, talvez até pior que essa. E o nome dessa dor se chamava Justin.

Aquele cara que estava te esperando em casa, talvez muito preocupado ou talvez tranquilo, mas com certeza querendo saber onde é que você tinha se metido até essa hora. Aquele sorriso que sempre te encantou e que te fez virar Belieber, aquele corpo, aqueles lábios, aqueles olhos que pareciam ser o seu mundo. A sensação que ele te dava e que ultimamente tinha desaparecido, e ocupando esse lugar uma semente de tristeza tinha brotado e cada vez mais ia se desabrochando. 

Até onde o amor, esse amor, iria conseguir sobreviver diante de tantas feridas que estavam demorando para cicatrizar, até onde ele conseguiria resistir?

Essa era uma pergunta que você fazia a si mesma nesses últimos meses. O que será que tinha acontecido com tudo o que vocês dois construíram juntos? Onde foram parar as juras de amor?

Você naquele momento que o Hugo estava tão próximo ainda não sabia da resposta. Era um turbilhão de emoções e desejos que percorriam o seu corpo ao mesmo tempo, você estava ao ponto de pirar. 

Foi quando o Hugo pegou no seu rosto e o virou, você não deve como evitar encarado-lo.

Aquele olhar te fez relaxar por completo e esquecer dos seus problemas, ele olhava bem no fundo dos seus olhos. E quando uma lagrima ameaçou sair ele sorriu pra você e aquilo foi tudo o que você precisava para não sentir nenhuma duvida em relação ao Hugo.

De sua paixão de infância que virou o seu melhor amigo, e de seu melhor amigo o Hugo tinha virado o seu ex melhor amigo; e de seu ex melhor amigo ele virou novamente uma paixão. Mas agora vocês dois não eram mais crianças, as cartas estavam todas na mesa. Por mais que você tenha tentado não alimentar esse amor por ele, simplesmente acabou acontecendo.

Com as mãos ainda em seu rosto ele acaricia a sua bochecha e o canto da sua boca, vocês estavam tão próximos que nem ele e nem você podiam evitar transparecer o desejo de ter os seus corpos juntos como um só. Seus olhos percorriam cara cantinho do rosto dele: suas sobrancelhas, seus cabelos bagunçados, os olhos dele procurando os seus, suas covinhas, e sua boca que desejava a sua tanto quando você desejava a dele.

Foi como se ele estivesse lendo o seu pensamento e você o dele quando, em um movimento vocês dois fecharam os olhos, e sem pressa esperaram os seus lábios se tocarem.

Você estava tão nervosa deixou que escapar uma risada que saiu muito estranha, tipo muito estranha mesmo. Sabe quando estamos tão nervosas que tentamos rir da situação e o som não é nada agradável, as vezes o ruído é muito forçado mas outras são engaçados. Você já estava bêbada e ainda por cima estava nervosa, podem imaginar o som esquisito que saiu na sua boca quando os seus narizes se tocaram? 

Foi motivo para você e ele rirem descontroladamente e acabar com o clima. Depois das risadas vocês dois meio que ficaram sem jeito e encararam o nada por um bom tempo.


Você: meu Deus, o que foi isso? –você diz ainda um pouco assustada consigo mesma e apavorada com esse novo sentimento que havia nascido em você-
Hugo: me desculpa tá? Isso foi por minha causa, vamos esquecer isso ainda temos a noite toda pra curtir.


Ele pega a sua mão e te leva pra dançar uma musica que você não conhecia no meio daquelas pessoas que você não conhecia mas que eram legais e que te fizeram bem enquanto você estava por lá.

Mesmo com todas as coisas rolando você decidiu esquecer de tudo até que você estivesse sóbria e que você e o Hugo estivessem sozinhos para conversar, e antes disso ter um conversa também com o Justin. Você não estava decidida do caminho certo a tomar, mas sentia que ele estava quase de baixo do seu nariz, como disse o Romeu. Tentando afastar tudo isso da sua cabeça, você pega um copo de vodka pra você e para o Hugo, e quase em sintonia vocês dois engolem a ultima gota do copo juntos e tão rapidamente que todos começaram a fazer uma competição para ver quem virava o copo todo mais rápido. O Hugo e você não ficaram e fora e isso rolou por quase a noite toda até quase todo mundo estar passando mal.



Enquanto isso com o Justin [...]

Onde será que ela está? Ele só conseguia pensar isso.
O telefone dele toca e ele atende trancando a porta do quarto, e quase num sussurro diz:

Jus: o que você está fazendo? Eu já não disse pra não me ligar? Não basta eu aguentar as suas mensagens?
Xxx: você está ficando sem tempo Justin, e eu não vou esperar mais.
Jus: o que mais você quer de mim?
Xxx: você sabe o que eu quero, e mesmo que eu esteja fazendo isso por chantagem, você sabe que é o certo não é? Então, por que não faz logo o que tem que fazer?
Jus: só eu que fui o culpado disso tudo? Se eu não estou enganado você também está com o rabinho entre as pernas.
Xxx: a diferença é que eu não tenho nada a perder diferente de você.
Jus: me dê mais um tempo, e não me ligue mais!
Xxx: escute bem, eu não posso mais aturar tudo isso você tem que fazer o que eu quero, entendeu?
Jus: por que você está fazendo isso comigo, por que? Eu ...
Xxx: ah, e antes que eu me esqueça de uma coisinha, eu posso estar mais perto do que você imagina. Lembre-se disso.
Jus: você o que? Piorou? Será que não dá pra me deixar em paz?
Xxx: seu tempo está acabando e eu não tenho toda a paciência do mundo. Boa noite Justin.
Jus: não, espera! O que você quis dizer com isso?

A ligação terminou e o Justin não sabia mais o que fazer, ele temia por ele, porem temia mais ter que perder você.


Hey coisas safadas da minha vida de bosta, de boa?

O Justin tem me deixado meio triste e um tanto frustrada ultimamente e eu estava bolando um jeito de ajudar o nosso idolo mesmo de longe, mas não consegui pensar em nada. Me ajudem?

Eu pensei em fazer um capitulo bônus pra vocês mas só se esse capitulo tiver 20 comentários antes de segunda que vem, o que vocês acham?
NÃO COMENTEM MAIS DE UM VEZ OK? É SERIO PIOLHAS.

Vou responder alguns comentários como no outro capitulo eu fiz:

1° jaa é terça viu !!! 2° Caramba q imagine, e um dos imagines mais inteligentes e bem bolados que eu ja li ate agora, poucos erros ortograficos, muitas reviras voltas... parabéns 3° Voce pode ter bastante futuro como escritora , uma imaginaçao execelente parabéns..... Só 1 pergunta, nao pode adiantar os cap nao ? Tipo 2 por semana !!?? - Marta Gabriela

Eu sei que hoje é terça piolha, foi mal viu? Obrigada mas eu acho que tu está enganada enquanto aos erros porque no começo da imagine eu não gostava de escrever e tem MUITOS erros ortográficos e palavras abreviadas como ´´vc´´ ´´pq´´ ´´tb´´ ... Eu vou arrumar tudo aquilo, mas eu preciso do tempo que eu não tenho pra fazer isso.
Vocês deixam o meu ego meio inflado demais, se eu estourar a culpa é de vocês. E não dá pra eu postar duas vezes por semana sempre, só as vezes com os capitulo bônus, infelizmente eu não tenho tempo e nem criatividade pra isso.





As aulas voltaram anime minhas segundas por favor ♥♥♥ Ana Clara de Sousa Mendes Ferreira

Eu espero que os meus capítulos cocos ajudem você animar a sua segunda, só não posso garantir isso '-'





Oii, sei que é chato mas você poderia divulgar a minha ib? Irei lhe agradecer eternamente euacreditobieber.blogspot.com.br Obrigada anjo, que todos seus sonhos se realize... - Maah Bieber

Eu não costumo divulgar nada aqui no blog mas já divulgando... a gente pode trocar indicações da sua fic no fc só pedir por lá amor.





yeaap, estas meio tenso esse capítulo, mais diversão,continuaaaaaa – Anônimo

Poxa eu faço possível, mas vou tentar melhorar. É que eu gosto dessas coisas bobas porque são nessas pequenas coisas que nós ´´leitoras´´ nos identificamos com a história ou com o algum personagem especifico.




eu queria que ela ficasse com o justin o hugo é tipo um amigo que ela pensa gostar em – Anônimo

Eu não teria tanta certeza disso depois desse ultimo capitulo, não é?





DUAS NO TEAM HUGO! lol DA UMA CHANCE PRA ESSE AMOR DE PESSOA! Hahahahha ro apxonada por uma pessoa q nunca vi u.u (no proximo capitulo coloca uma ft dele pfvr?) E acho q o jus ta zoadasso, Team hugo! U.u Continuuuuuuuuuuua! Pft -  Diana Barbi

Eu só não estou colocando gifs nesses capítulos porque eu to sem tempo de procurar amor, mas eu vou tentar colocar nos próximos ok?





Continua logo please A maioria das meninas estão falando pra dar uma chance por hugo mais esquecem do Justin se vocês estivesse com o Justin oque fariam de verdade? agora que estão vendo o lado dele o que mais comentam são: da uma chance pro hugo etc... pensem no Justin também caramba - estefany teka

Calma muita coisa ainda vai acontecer ainda e eu não sei se vocês vão ficar assim com tanta pena do Justin, mas eu vou deixar esse comentário da Ana Clara de Sousa Mendes Ferreira como reposta do seu comentário. Porque é mais ou menos isso que está acontecendo nesse momento, mas pode acontecer uma reviravolta nisso: ´´Aaaaa obrigada por me responder, mano o hugo é perfeito, ele não a deixa pra baixo não a faz sofrer pelo menos na maioria das vezes, é claro que o JUSTIN BIEBER é o sonho de qualquer uma mas ele já vacilou demais, quer saber, larga tudo e dá uma chance pro Hugo, assim você tira a prova de quem vale apena... eu acjo que esse é o momento pra ela se reerguer e se renovar o Justin está atrasando ela, afinal quais foram os avanços que esse relacionamento trouxe pra ela? Ela só se tornou insegura e incerta. Hugo por mim ela é sua em ´´.


20 de janeiro de 2014

Capitulo 67 da #IB & #IBH *-*

II 31 comentários:
Romeu: eu sou um homem velho mas já me chamaram de sábio pelos conselhos que eu dou, e esses foram os meus conselhos pra ti. Não me responda eles, responda a si mesma e veja o resultado. Afinal de contas, não tem como mentir pra si mesma. Você pode até tentar, mas a vida te corrige e aposto que você não vai gostar de levar uma lição da vida. Não mesmo, confie em mim.
Você: obrigado, eu vou pensar em tudo o que você me disse.
Romeu: e não se esqueça, enxergue o que está bem na sua frente.
Hugo: já terminaram? –ele se aproxima de vocês-
Romeu: acho que não, a companhia dela é melhor que a tua.
Hugo: HÁ-HÁ-HÁ muito engraçado Romeu, estou até rolando de dor de barriga. Não está vendo?
Romeu: eu sei, eu faço o melhor que eu posso.
Você: eu só queria saber –você interrompe os dois- onde é que esse trem vai parar.
Romeu: não pergunte pra mim, eu não sei. Eu vou onde ele me levar, eu não escolho o meu caminho, o caminho me escolhe.
Você: mas você não pega esse mesmo trem todos os dias?
Romeu: sim.
Você: não entendi. Tipo você pega esse mesmo trem e...
Romeu: eu nunca desço do mesmo ponto ou no mesmo terminal, eu posso até descer mas eu nunca me lembro direito deles. Eu venho aqui pra dormir (sn), entendeu?
Você: ah, agora sim.
Hugo: eu sei onde vamos descer, relaxa.
Você: onde?
Hugo: a pergunta é: você vai querer voltar há que horas pra casa madame? –ele brinca com você e ainda faz bico-
Você: quanto mais tempo eu ficar afastada de lá é melhor.
Romeu: não adianta você evitar os problemas, uma hora ou outra eles vão vir do mesmo jeito.
Você: eu sei mas eu disse que é melhor por que...
Romeu: não é estranho você querer ficar longe da pessoa que tu ama? Só estou dizendo sabe, nada contra. Só pra te lembrar que o amor da sua vida está lá no apartamento e não num trem conversando com um mendigo. E mesmo assim você prefere aqui.
Você: como eu estava dizendo, é melhor por que eu quero pensar em algumas coisas. E se eu for pra lá eu não vou conseguir pensar em nada.
Romeu: boa desculpa, mas isso ainda não justifica nada.
Hugo: eu cuido dela está noite.

O Romeu dá uma risada e solta um ´´HUMMMM´´ que significava algo obsceno, como se o Hugo estivesse se referindo a transar com você, e não cuidar de uma maneira protetora. O Hugo fica vermelho e você concorda em ir pra não deixar ele sem graça. Na verdade, você já queria ir com ele, só arrumou essa desculpa pra você mesma.

Você: tudo bem, hoje eu vou com você. –o Romeu te encara e dá um risinho de leve-
Romeu: não sei em que eu aposto.
Hugo: como assim? –ele disse super feliz, mas tentando não transparecer, mas você percebeu-
Romeu: se ela vai parar de ser burra e ficar com você. Ou, se você vai ser menos idiota e se declarar sem mentiras e sem armações, talvez até mesmo tentar um beijo. Mas eu duvido muito que uma dessas coisas aconteça, vocês dois só vão aprender a assumir de maneira natural o que vocês tem ai dentro a muito tempo quando um de vocês ceder. Tenho certeza absoluta que se um quiser, o outro não discorda.
Hugo: eu não apostaria tanto nisso. –ele disse completamente sem graça, e bem baixinho-

Você se lembrou de quando ele te beijou a força na frente do Justin no estacionamento da sua escola, você não cedeu nenhum pouco.
Será que o Romeu estava errado?
Por que você e o Hugo tiver como referencia aquela tarde quando ele te beijou e você não correspondeu, isso de um de vocês ceder pode acontecer porem o outro pode não concordar.

Romeu: e quem disse que é você quem tem que ceder Hugo? Você já fez a sua parte e...

Ele para de falar e deixa a frase incompleta fazendo um suspense no ar. Você não se atreveu a discordar e nem falar alguma coisa a respeito porque já sabia que ele não estava errado. Olhando para o teto de aço sujo do trem, você pensou um pouco e descobriu que realmente nunca tinha dado um chance pro Hugo. Nem mesmo pensado em dar essa chance. E o pior de tudo é que ele nunca desistiu de você.
As horas foram se passando e você nem percebeu, perdida em seus pensamentos com o Hugo e preocupada ao mesmo tempo com a sua situação com o Justin. Hugo dormia encostado em seu ombro e Romeu mantinha os olhos abertos, parecia que também estava pensando em algo ou alguém.
Você se assustou um pouco quando, sem você perceber, o Romeu tinha se aproximado do seu rosto. Ele bateu na cabeça do Hugo que estava encostada em seu ombro.

Romeu: vai perder o seu ponto garoto!
Hugo: precisava bater?
Romeu: não, mas eu queria fazer isso já faz um tempinho. –ele sorri e mostra os seus dentes amarelados-
Hugo: como sabe onde eu quero levar a (sn)?
Romeu: intuição masculina.
Hugo: ta certo.

Em menos de cinco minutos o trem parou e você se decepcionou quando o Romeu disse que não iria com vocês.

Você: ah, vamos vai ser legal!
Romeu: não adianta, eu ainda não dormir por causa de vocês então tratem de sair do meu trem seus fedelhos!
Hugo: os velhinhos por mais legal que sejam nunca deixam de ser birutas.
Você: nisso você tem razão, bom... então isso é um adeus?
Romeu: ainda não, você vai me ver de novo.
Você: como assim? –você ri-
Romeu: você verá. –ele se vira e encosta a cabeça na janela do trem e fecha os olhos antes mesmo de você dizer ´´tchau´´-

O Hugo te pega pelo braço e te tira do trem antes que ele fechasse as portas.

Você: ele nem ao menos se despediu.
Hugo: ele não gosta de despedidas e sempre faz isso, não importa com quem seja.
Você: serio?
Hugo: aham, eu também estranhava no começo mas já me acostumei.
Você: isso tem algo a ver com a história que ele te contou sobre o passado dele?
Hugo: isso eu não posso responder no momento, se ele morrer amanha eu te conto. –você dá um tapa nele- que foi? É só uma piada.
Você: com isso não se brinca, ta legal?
Hugo: ok.
Você: por que você não o chama pra morar lá na sua casa? Ou sei lá, faz alguma coisa pra ajudar ele?
Hugo: você diz isso como se eu não já estivesse fazendo.
Você: trazer comida de vez em quando não conta.
Hugo: eu já tentei levar ele pra morar comigo e tentar convencer ele de tomar banho se você quer saber. Mas quem disse que ele me escuta? Ele é muito cabeça dura e não aceita conselhos de pirralhos, como ele me chama as vezes, e não adianta dizer nada. A não ser que você seja mais velho que ele.
Você: quantos anos ele tem?
Hugo: eu não sei.
Você: pensei que vocês fossem mais íntimos.
Hugo: e nós somos mas se você perguntar algo sobre a vida dele, seja o que for, ele não responde. Ele só conta o que ele quer que você saiba, ou o que você mereça saber.
Você: ele é sinistro, sabe de muitas coisas e isso me dá um pouco de medo.
Hugo: eu sei, eu também fico assim as vezes. É bom estar com ele e por esse motivo eu não deixo de vê-lo.
Você: agora eu sei da onde você pega aquelas frases que sempre me fazem ficar em duvida.
Hugo: eu te deixo em duvida?
Você fica sem resposta.
Hugo: esquece, vamos ficar aqui a vida toda ou vamos onde eu quero te levar?
Você: onde nós vamos?
Hugo: andar de bicicleta por ai, topa?
Você: como é?
Hugo: isso mesmo que você ouviu.
Você: você só pode estar brincando Hugo.
Hugo: não, não estou.
Você: se você tivesse me dito que era isso que a gente ia fazer eu nem tinha descido do trem.
Hugo: eu sei, foi por isso que eu não disse. –ele sorri-
Você: idiota. Como vamos comprar bicicletas uma hora dessas Hugo?
Hugo: comprar? Nós vamos é pegar emprestado de alguém, que sempre deixa ela do lado de fora sem proteção.
Você: quer dizer roubar?
Hugo: roubar não porque vamos devolver de manha.
Você: eu não vou fazer isso, não mesmo!
Hugo: qual é, para de ser careta (sn).
Você: isso é errado sabia?
Hugo: era errado você estar aqui comigo agora e você está. Era errado eu conversar sobre a minha vida amorosa, que de amorosa não tem nada, com um mendigo mas eu converso. Era errado o dono da bike deixar ela do lado de fora de casa todos os dias sem proteção alguma, mas ele deixa. Era errado o...
Você: tudo bem, você já me convenceu. Só não me faça me arrepender disso depois tá? Eu não quero ser presa ou algo assim.
Hugo: fala serio (sn), se você fosse presa o Justin iria correndo pagar a sua fiança. Eu é que devia ter medo porque não tenho onde cair morto.

E você segue o Hugo pelas ruas iluminadas de New York ainda com receio mas de algum modo excitada com a adrenalina de fazer algo errado. Ele puxa diversos assuntos e até algumas coisas que vocês faziam quando eram menores. Era tão engraçado quando ele lembrava uma coisa que a tempos você havia esquecido, e vocês dois caiam na gargalhada.

Você se arrependeu um pouco por dedicar os melhores dias da sua vida somente ao Justin, antes dele você também era feliz com pequenas coisas mas não se lembrava muito disso.

Umas das coisas que você mais gostou foi andar por ai sem nenhum paparazzi te seguindo. Quer dizer, claro que é legal ter diversos homens e até mulheres te seguindo e fazendo perguntas sobre onde/como/com quem/quando você vai em algum lugar. Ter as atenções voltadas pra você é legal, mas não sempre. Aquilo cansa e estressa. Não é todos os dias que você tem paciência para sorrir para as câmeras ao invés de chorar e demonstrar o que você realmente sente. E o pior, é que você só é assediada por causa do Justin e não por mérito seu. E isso te incomodava as vezes, muitas vezes.

Depois de mais ou menos dois ou três quarteirões vocês entram numa rua, o Hugo põem o dedo na sua boca indicando silencio, como se estivéssemos fazendo o maior barulho. Seu coração começa a disparar ao ver a tal bicicleta parada na frente de uma padaria e sem proteção alguma. Ele estava mesmo falando a verdade, vocês realmente vão roubar uma bicicleta.

Você: caralho Hugo, você não vai fazer isso não é?
Hugo: é claro que vou ué, achou que eu estava zoando? –você engole em seco- relaxa.
Você: como eu posso...
Hugo: SHIIU!
Você: como eu posso relaxar pra roubar alguma coisa? –você sussurra-
Hugo: já disse que não estamos roubando nada (sn). Porra, tu não confia em mim? –ele fala bem baixinho-
Você: confio. –você sussurra de volta-
Hugo: então cala boca.

Ele sai de perto de você e vai em direção a padaria para pegar a bicicleta. Nesse momento você fica tensa pesando que poderia ter algum paparazzi espiando vocês de algum lugar. Sempre saiam fotos suas ou do Justin que vocês nem sabiam que estavam sendo fotografados, os paparazzi eram como formiguinhas num shopping, ninguém vê e eles passam totalmente despercebidos. Você olhava de um lado para o outro procurando alguma alma viva, ou morta, enquanto o Hugo vinha atravessando a rua trazendo a bicicleta.

Você: e como eu vou, só tem uma?
Hugo: só, você vai aqui atrás e eu te guio.
Você: certo, vamos sair logo daqui.
Hugo: primeiro sobe na bike (sn).
Você: tá. –você sobe bem rapidinho na bicicleta e espera impaciente a saída do Hugo, mas ele não move uma palha. Vai que o dono da casa sai e pega vocês dois no fraga? Não, isso não podia acontecer de jeito nenhum.- o que é que você está esperando pra sair daqui Hugo?
Hugo: estou esperando você escolher o destino.
Você: ah, vamos pra qualquer lugar longe daqui! Anda, vamos logo! –você sussurra ainda com medo de aparecer alguém-
Hugo: isso quer dizer que eu posso escolher o caminho? –percebendo que você estava apavorada ele brinca com você enrolando ainda mais pra sair dali-
Você: é, é.
Hugo: qual quer lugar mesmo?
Você: é Hugo, qualquer lugar.
Hugo: e você vai ficar comigo onde eu escolher ficar, certo?
Você: eu vou caralho, vamos logo!
Hugo: você jura?

Você perde a paciência e dá um beliscão nas costas do Hugo fazendo ele dar um berro e xingar uma sequencias palavrões direcionados a você em alto e bom som. Você tinha certeza que dava para escutar os palavrões do fim da rua, e estremeceu ao pensar que o dono da bicicleta poderia sair de casa para ver o que estava acontecendo na sua rua.

Hugo: qual é o seu problema?
Você: você Hugo, você é o problema! Eu estou quase tendo um treco aqui e você não mexe essa porra de pé para mover a merda dessa bicicleta.
Hugo: era só falar, não era pra tirar uma cratera da minha pele.
Você: eu estava praticamente implorando pra sair daqui, e você sabe muito bem, mas não fez nada pra sair. Você estava brincando comigo.
Hugo: você não sabe mais brincar? Poxa, cadê a (sn) antiga? Chame ela pra mim, porque ela está fazendo muita falta.

Uma rápida lembrança veio na sua cabeça, mas não era do Hugo. Você se lembrou que você tinha dito a mesma coisa, ou quase a mesma coisa pro Justin.
Será que como o Justin, você também estava mudando? Será que você tinha mudado?

Hugo: então o que vai ser?
Você: eu não mudei, ainda sou a mesma.
Hugo: ah é? Então me prove. –ele te lança um desafio com um sorriso maligno-

Era assim ´´sorriso maligno´´ que você costumava nomear esse sorriso desafiador do Hugo lá pelos doze ou treze anos. Você sorriu também ao lembrar disso e aceitou o desafio.

Você: ACORDEM SEUS FILHOS DA PUTAAA! –mesmo sem saber de onde vinha, você gritou isso com todas as suas forças e pegou o Hugo de surpresa-
Hugo: você é maluca! –ele ri junto co você-
Você: FODA-SE! –você grita novamente e o Hugo dá partida para um rumo que você não conhecia-
Hugo: você ainda não me provou que é a mesma, isso só foi porque eu te desafiei.
Você: ah, não vale. –você ainda estava com o coração acelerado mas se sentia ótima-
Hugo: quero outra prova. –e o sorriso maligno volta a parecer-
Você: você é um idiota sabia?
Hugo: e você é uma retardada, não acha que a gente se merece?
Você: talvez. –você ri aliviada por estar saindo daquela rua e temendo a volta até lá-


Gritando nas ruas e rindo de absolutamente tudo, você dois foram seguindo a caminho de um lugar que talvez, poderia mudar tudo.

Hey piolhas!

Não sei que horas são agora mas já é terça-feira, porem em minha defesa eu fiz mais da metade da imagine ontem (segunda-feira) e só fui terminar agora porque a minha mãe deu a louca e pegou o meu notebook. Na verdade a gente discutiu e ela pegou o not mas eu peguei ele de volta agora só pra postar a imagine pra vocês.

É muito amor, espero que vocês me retribuam divulgando o blog certo?

Eu andei achando alguns comentários interessantes de alguns meses pra cá e decidi responder alguns deles. Não vou responder apenas os comentários de elogios, eu também vou responder algumas criticas construtivas. Se tiverem ideias me mandem pelo amor de Deus! Eu não sou, como vocês pensam, uma mente criativa. Serio, to precisando da ajuda de vocês.


Então... vamos aos comentários que mais me chamaram a atenção:



Me faz um favor? Esse Romeu pode ate ser um sabio, mas da um ou dois foras nele? Vou me sentir muito melhor. Nao deixe o Hugo ir!!!!! E faça o Juss abrir a boca!!! Com amor, Sua leitora fiel, @GabrielleJBDL

Pense comigo Gabi ´´você´´ na história já magoou muito o Hugo e o Romeu está certo em tudo que ele disse, até agora pelo menos. Então, por que dar um fora em alguém que está tentando te ajudar? Mas, se caso acontecer uma reviravolta na história, eu faço o que você disse e mais um pouco.



Esperando hein " eu não vou deixar vcs sem um novo capítulo semana que vem " - Ana Clara de Sousa Mendes Ferreira

Postei um pouco tarde mas antes tarde do que nunca, não é?



Você deseja 40, 60, 70 comentários mas não faz a sua parte/Não faça promessas se não vai conseguir compri-las/ - dois anônimos

Eu gosto pra caramba quando vocês brigam comigo assim por demorar pra postar, serio mesmo. Eu me sinto feliz porque tem alguém que espera um novo capitulo de bosta da minha imagine. Mas não soltem os cachorros em cima de mim porque eu só não postei por um imprevisto, como eu já expliquei ali em cima.



TEAM HUGO, hahah, da uma chance pra esse ser foda ai , continuaaaaaaaaaaaaaaaa - Nicole Monteiro

Caralho tu é a primeira tem Hugo do blog, em pensar que há alguns meses atrás vocês todas odiavam ele, isso já é um começo. Obrigada!





É só isso por hoje, até segunda que vem piolhas.